CarWebWideClássicos

O que dizem deste Mercedes 280SE de 1972 elétrico?

Hoje em dia, a maioria, senão todos, os carros da linha da Mercedes-Benz têm algum tipo de pretensão desportiva. Coisas como estilo agressivo, jantes enormes e modos de condução “desportivos” contribuem para isto, mas remontam a algumas décadas, e um Mercedes tinha apenas um propósito: ser um veículo luxuoso e confortável. Este 280SE de 1972, que foi convertido para se locomover pelo movimento de eletrões, é um exemplo perfeito desse pensamento.

A bateria e o restante sistema de locomoção vieram de um Nissan Leaf de 2013, que à primeira vista pode parecer nada atraente em termos de potência, mas deve ter em mente que o objetivo deste carro nunca foi ser um demónio da velocidade. Destina-se a logas viagens de luxo, então a condução suave e silenciosa fornecida por esta conversão é na verdade bastante adequada. Mas se te preocupas com a velocidade, ficarás feliz em saber que o tempo de 0-100km/h de 9,1 segundos é na verdade quase o mesmo que o original.

O interior, por outro lado, é um pouco questionável (especialmente aquele volante que está com a parte superior cortada), mas ainda é impressionante como conseguiram integrar todas as características antigas do carro com a tecnologia moderna. Alguns dos novos recursos incluem um painel de instrumentos digital, um sistema de infoentretenimento, cruize control, vidros elétricos e, em termos de segurança, agora tem airbags, ABS, direção hidráulica e uma camera de marcha-atrás.

pub

Fora isso, o carro mantém a sua aparência vintage. A unidade de elétrica fica onde o motor costumava ser, e a nova suspensão não é visível externamente. Uma das melhores integrações da arquitetura de veículos elétricos, entretanto, é a porta de carga escondida atrás da placa traseira. As únicas evidências de que este não é um 280SE normal são o emblema “totalmente elétrico” na mala e a ausência de ruído do motor.

Mostrar Mais
Botão Voltar ao Topo