ClássicosNotícias

61 anos depois, o último V8 da Bentley saiu da linha de produção

O V8 de 6.75 litros foi descontinuado, com o último exemplar a dar vida a um Mulsanne.

A produção do Bentley Mulsanne está a chegar ao fim. A empresa britânica decidiu que o Flying Spur é tão bom que o seu irmão mais velho é agora um pouco redundante. Mas a notícia não se baseia apenas no maior modelo da marca britânica – é também o capítulo final da história de 61 anos do seu V8 de 6.75 litros.

O V8 mais antigo do mundo não tem mais um compartimento de motor para ocupar, e o último foi montado à mão no início desta semana por uma equipa de sete pessoas com 105 anos de experiência entre eles. Foi destinado ao especial Mulsanne 6.75 Edition, em que o motor de oito cilindros oferecerá 530cv e 1099Nm de torque.

61 anos depois, o último V8 da Bentley saiu da linha de produção 1
Fonte: Bentley

O primeiro exemplar deste V8 ‘L-Series’, usado no S2 de 1959, não era tão potente. Desenvolvia 180cv – um valor muito mais modesto, embora tenha aumentado ao longo das décadas. A cilindrada foi aumentada de 6,25 para 6,75 litros em 1971, e ganhou mais tarde um turbo e, mais recentemente, uma configuração twin-turbo.

pub

A sua última grande atualização ocorreu em 2010 para coincidir com o lançamento do Mulsanne. Recebeu novos pistões, bielas, e uma cambota reprojetada. Para o atualizar firmemente, a desativação do cilindro foi introduzida, tornando o consumo de combustível um pouco menos alarmante.

61 anos depois, o último V8 da Bentley saiu da linha de produção 2
Fonte: Bentley

No período de produção de seis décadas, a fábrica de Crewe construiu 36.000 unidades. Apesar de sua perda, a Bentley ainda possui um V8 na sua lista, na forma de uma unidade de 4 litros turbo desenvolvida pela Audi/Porsche.

A produção de motores continuará também na fábrica de Crewe, já que a Bentley prosseguirá com a construção de W12s para si mesma e até para o resto do grupo Volkswagen.

Fonte
carthrottle
Mostrar Mais
Botão Voltar ao Topo